importancia da rotina

Quando engravidei meu único e maior desejo era amamentar.  Mas, tinha dentro de mim que se não desse certo a amamentação estaria ainda tudo bem. Com ajuda das enfermeiras da maternidade, da família e da Clarice tivemos sucesso na amamentação. Conseguimos superar as dificuldades iniciais que muitas mulheres passam: bico do peito rachado, baixa produção de leite, mastite e noites em claro.

A cada mamada era incrível como nosso amor aumentava, como era um momento de vinculo afetivo intenso. Era especial a nossa  troca olhares, carinho e aconchego. Meu peito foi chupeta, foi alimento, foi carinho, amor, conforto, calma e solução para cólicas. Sim, peito é tudo isso.

O peito não é só alimento. A amamentação vai além de nutrientes.

Não há problema fazer peito de chupeta, não há problema usar o peito como recurso para se acalmar, não há problema peito para dormir. Aliás, o termo “fazer o peito de chupeta” está errado, o bebê usa chupeta para substituir o peito.

O bebê faz a chupeta de peito, o nome disso é sucção não nutritiva.

A sucção não nutritiva serve para estimular a demanda de leite, conforto emocional, suprir a necessidade  de sucção do bebê. Com o tempo, conforme o bebê vai crescendo ele e você aprenderão novas formas de conforto emocional, não se preocupe. Eu amamentei em livre demanda e exclusivamente até os seis meses, e não tive pressa.

A organização Mundial da saúde recomenda a amamentação pelo menos até completarem 2 anos de idade

Eu prometi pra mim que iria fazer o desmame da Clarice de forma natural, ou seja, ela iria mamar até quando quisesse. Mas, quando a Clarice completou 1 ano e 4 meses a amamentação estava exaustiva, eu senti necessidade de fazer o desmame antes dos 2 anos. Apesar das inúmeras recomendações de organizações de saúde, eu ouvi a minha voz interna e me respeitei. A amamentação é uma relação a dois e ambas as partes precisam estar felizes. Refleti durante muito tempo, fiz leituras, me informei e resolvi seguir meu coração. Tem vídeo contando com detalhes como foi nosso desmame:

O desmame aqui de casa, foi uma decisão planejada e feito com  muito cuidado, nos respeitando mutuamente. Algumas dicas foram valiosas para seguir no processo e principalmente não sentir a tal culpa materna.

A decisão de desmamar deve ser sua!

Não faça de forma alguma o desmame por causa de palpites ou pressão de familiares e amigos. Irá se arrepender por não ter ouvido a sua vontade e a vontade do seu bebê.

Faça um planejamento de como quer fazer o desmame

Começou a vir um incomodo em amamentar? Assim, como existe plano de parto. Faça um plano de desmame,  coloque os passos que irá fazer para desmamar. Esteja consciente do processo para conseguir colocar em prática

Prepare-se emocionalmente para desmamar

A melhor forma de conseguir começar o processo sem culpa é se preparar psicologicamente, leia  experiências de desmame, procure informações, consulte profissionais especialistas no assunto. Mas, principalmente reflita com você mesmo porque deseja fazer o desmame, quais pontos positivos e negativos. Sim, qualquer escolha há algo que perdemos e ganhamos. Avalie e coloque na sua balança.

A verdade te libertará

Quando tiver sua decisão tomada, use a verdade para si e para seu bebê. Mesmo que seu filho seja bebê converse fale a verdade, não use artifícios de que está com coco, que está machucado, com sangue ou que está doente. Deixe a criança se despedir e converse.  È incrível a capacidade das crianças de adaptação e resiliência, não as subestime.

amamentação

Mas, e na prática como devo fazer? Segue dicas que usei aqui em casa conforme a minha experiência.

Cronograma das mamadas. Se você tiver consciência dos horários que acabam proporcionando a mamada conseguirá ter maior controle, faça uma lista dos horários de mamada. Quando estiver próximo ao horário de amamentar ofereça um alimento e faça uma atividade divertida. A criança irá se distrair e não solicitará o peito.

Evite roupas que normalmente usa para amamentar, roupas de fácil acesso ao peito e que cheiram a leite acabam induzindo ao maior numero de mamadas

Não ofereça o peito a qualquer momento. Quando amamentamos usamos o recurso do peito para acalmar choro, stress e fazer dormir. Tente outros recursos, como cantar, ler livros e abraçar para substituir a necessidade do peito.

Qual a necessidade por trás do pedido de peito? Sede, fome, sono, conforto, aconchego, carinho, stress. Basta um colo, um beijo , um abraço, uma comidinha especial e a necessidade da criança é atendida sem precisa do peito

Determine um local para amamentar. A criança identificando que só irá mamar em determinado local, evitará que peça o peito em outros locais.

Essas dicas são para mães que assim como eu desejam de forma consciente desmamar seus filhos, não é um incentivo ao desmame, nós defendemos a amamentação prolongada. Aqui  em casa é um lugar de acolhimento de mães que precisam ser respeitadas nas suas escolhas e também precisam de cuidado.

Aqui em casa o desmame foi assim, e na sua?

Você também pode gostar destes posts

Read More