Mamãe e Bebê Saúde

Bebê com infecção urinária? O que fazer?Passamos por isso aqui em casa, vem ver.

infecção urinária

Sim, infecção urinária pode acontecer com bebês e aqui em casa aconteceu mais de uma vez. Clarice teve três episódios de infecção urinária horríveis. Se você já passou por uma infecção dessas, sabe a dor terrível e como é difícil conseguir fazer xixi. Agora, imagine um bebê de quatro meses com esse problema.

Nosso primeiro episódio de infecção urinária foi quando a Clarice tinha 4 meses, simplesmente ela amanheceu com uma febre de 39 graus sem sinais de gripe, dor de barriga ou outro sintoma aparente que justificasse a febre.

Fui orientada pelo pediatra a dar anti-térmico e observar qualquer alteração.

Sou uma mãe de primeira viagem e assumidamente neurótica, não me conformei e procurei um pronto socorro para consulta. O medico do plantão, assim como o pediatra, disseram ser “coisa de criança”. A Clarice estava super chorona, só colo e peito conseguiam acalmar. Dentro de mim eu sabia que havia algo errado e sem pestanejar agendei uma consulta com outro pediatra no dia seguinte. Relatado o ocorrido a pediatra solicitou um exame de urina para investigar. Batata, era infecção de urinária!

Há 3 dias ela estava com infecção de urina e apenas no terceiro médico fizemos exame e iniciamos o medicamento, ela tomou medicamento durante 7 dias e tratamos a doença. Para infecção urinária é necessário procurar um médico, não adianta chá de cavalinha, salsa ou auto medicação.

O nosso pediatra achou melhor investigarmos a causa da infecção de urina porque, segundo ele, pode sim acontecer, é comum mas não é normal. Ele disse que seria melhor fazer diversos exames porque a infecção deveria ter alguma razão.

Todos deram resultados normais, exceto o exame de ultrassom dos rins. Descobrimos que havia uma alteração nos dois rins, um rim estava maior e havia uma dilatação pielocalicial bilateral (dilatação da pelve renal que pode bloquear o fluxo de urina), que pode ser o indicativo de problemas renais. Meu mundo simplesmente desmoronou, com uma grande tendência ao trágico eu já imaginei meu bebê com os problemas mais sérios de rim.

Passado 20 dias da primeira infecção de urina, a Clarice teve uma segunda infecção e dessa vez foi sem febre, descobrimos a infecção pela mudança de comportamento. O que era apenas um dia de muito choro, passou a ser um choro constante de dor. Logo depois de tomar banho estávamos fazendo a Clarice dormir e ela não parava de chorar, não queria dormir, não queria mamar e gritava. Resolvemos correr para o Hospital Pequeno Príncipe. Ao chegar na emergência, fomos imediatamente encaminhados para a triagem e de lá direto para a consulta. Isso, porque a Clari chegou com aquele choro de dor e berrava.

Sem saber, o pediatra não conseguiu dar o laudo na consulta, mas viu que ela estava sofrendo com alguma dor e receitou uma medicação intravenosa com urgência e solicitou diversos exames, um deles de urina para ser coletado ainda no hospital. Acreditem, depois de 10 min que havia tomado o medicamento ela adormeceu, relaxou e, depois de 3h, o resultado de urina confirmou a infecção urinária e novamente entramos com o tratamento medicamentoso.

Nesta altura do campeonato, eu já estava com a certeza de que a Clarice tinha algum problema renal. Fomos em 2 nefrologistas infantis e o laudo que recebemos era de alguma má formação renal ou refluxo urinário. Era preciso mais exames e tempo de observação para fechar o diagnóstico, não tinha nada a fazer a não ser esperar o refluxo urinário desaparecer conforme o crescimento da Clari. Passamos 2 meses indo de médico em médico, fazendo diversos exames, até exame de uretrocistografia miccional fizemos.

exames para infecção urinária
Diversos exames da Clarice

E novamente, um dia em casa, percebi que a Clarice estava com febre e imediatamente coletei a urina dela e levei ao laboratório (por causa dos dois casos de infecção eu já tinha em casa coletores de urina e guia para exame) e, outra vez, infecção urinária. Corri para um terceiro nefrologista que achou melhor fazermos tratamento profilático. Resultado: a Clarice passaria a tomar antibiótico diariamente por tempo indeterminado.

Eu não me conformava em não ter um diagnostico fechado e ver a Clari tomar antibiótico todos os dias. Procuramos um novo especialista e, para espanto, esse anjo fechou o diagnostico. A Clarice não tinha nada. Isso mesmo! Nenhuma má formação, nenhum problema renal, não era necessário tratamento profilático, nada. Acontece que algumas crianças possuem uma pré-disposição a desenvolver infecção urinária, a mucosa na área vaginal possibilita a proliferação de bactérias e consequentemente a infecção, o médico disse que, assim que a Clarice começasse a fazer cocô mais durinho, não teria mais infecção . E o exame de ultrasson você deve estar se perguntando, o inchaço e dilatação detectados são considerados dentro da normalidade, conforme o medico nos esclareceu.

Mas não pense que as infecções eram  falta de higiene, pois sempre limpamos a Clari com muito cuidado (lembra que já contei que nesse mesmo período ela tinha muita assadura?!), as fraldas eram trocadas de 1h em 1h e nunca usávamos lenço umedecido. A Clari sempre foi um bebê que fez muito cocô, e quando se alimentava de leite materno exclusivamente chegava a evacuar de 4 a 5 vezes em um dia, o que pode justificar as infecções por contaminação da própria área genital. Meninas estão mais propensas a ter infecção urinária.

Com o diagnóstico de que não tinha “nadinha”, suspendemos a medicação e ficamos em alerta para qualquer sinal de infecção urinária. Os sintomas normalmente são:

-Urina mais escura ou com sangue

-Mau odor na urina

– Irritação, sem explicação

-Falta de apetite

-Febre

-Choro ou reclamação ao urinar

-Vômitos

É difícil  perceber que seu bebê esta com infecção urinária, porque as vezes aparece só um sintoma ou outros que, devido ao uso da fralda, não conseguimos observar. Se você perceber ou suspeitar que seu bebê está com infecção urinária, procure imediatamente uma emergência ou o pediatra para exames, e se necessário a administração de antibióticos. Caso não haja tratamento adequado, a infecção de urina pode causar danos aos rins.

Aqui em casa tudo melhorou após a introdução alimentar, cocô mais durinho e com menor frequência, sem assadura e sem infecção urinária. É importante sempre investigar episódios repetidos de infecção urinária e ter sempre uma segunda, e até, terceira opinião.

Foi um sufoco este período e na sua casa? Seu bebê já teve infecção urinária?

infecção urinária

Você também pode gostar destes posts

Read More