Comportamento Dia a dia

Quando é frustrado, meu filho se agride. Isso acontece na sua casa?

filho frustrado

Muitas vezes, as crianças pequenas quando frustradas batem a cabeça na parede, se beliscam, se jogam no chão, arrancam os cabelos ou ainda se mordem. Como você, adulto da relação, enxerga esse comportamento? Hoje proponho uma abordagem fora do convencional para o problema “meu filho se agride”. Quero que possamos observar a criança a partir dela – e não de nós adultos com nossos julgamentos e conceitos já formados sobre birra e disciplina.

Qual a mensagem que seu filho está enviando quando se comporta dessa maneira? Qual o contexto em que acontece a auto agressão? Se pararmos para observar atentamente sem julgamentos, conseguiremos descobrir a causa.

Crianças pequenas não planejam fazer uma ação para nos tirar a paciência ou para se vingarem de nós. Crianças agem dessa forma para expressar  frustração diante de algo. Munidas de poucas ferramentas sociais e neurológicas, não lhes sobram muitas opções de  como demonstrar insatisfação. Se somarmos essa imaturidade da criança a um contexto familiar onde não haja respeito pela individualidade e real interesse das necessidades, esse problema é potencializado.

Imagine como é difícil lidar com alguma frustração quando o desenvolvimento ainda não está completo. Crianças pequenas não possuem a área do córtex pré-frontal desenvolvida, e esse sistema é responsável pela capacidade planejamento, concentração e inibição de impulsos, por exemplo.

Se compreendermos que a criança é incapaz de agir de outra forma, podemos então em vez de punir, acolhê-la e dar suporte para superar esse desafio emocional.

Aproveite o conflito para se conectar com seu filho.

A auto agressão pode surgir como uma forma de lidar com frustração ou até como uma forma negativa de demonstrar que deseja atenção. Esses episódios normalmente começam por volta dos 8 meses, quando a criança começa a descobrir o mundo e a si mesma.

Importante! Caso os episódios fiquem frequentes e perdurem por mais de um mês, procure um especialista para avaliação, pois este pode ser um sinal de algumas doenças ou de que cuidados específicos para a saúde mental são necessários.

Dicas de como ajudar quando seu filho se agride

 

– Se perceber chances da criança se machucar, faça contenção física.

– Tente tirar o foco da criança para outras coisas, envolva-a com uma música, brincadeiras ou tire-a do ambiente.

– Não grite ou bata na criança. Não dê risada.

– Evite dizer: “Não bata a cabeça, não se belisque”. Isso fortalece a ação. Fale: “Poderá se machucar se bater a cabeça” ou “Sua cabeça ficará doendo”.

– Ensine outras formas de expressar a frustração. Se a criança já fala, poderá pedir para contar o que houve. Se não, ensine a bater na almofada, a gritar em um pote, a chutar uma bola. Algo que possa extravasar o que sente sem se machucar e sem machucar outras pessoas.

– Após a criança se acalmar tente conversar.

– Não potencialize dando excesso de atenção.

– Se a criança agredir outras pessoas, segure a mão e diga firmemente: “Isso machuca e não pode”.

– Reforce comportamentos positivos da criança.

– Em momentos tranquilos, ensine a criança a falar sobre sentimentos e como lidar com eles.

– Não recompense a criança com atenção ou com o que deseja quando ocorrer a auto agressão.

– Seja firme em não ceder a vontade da criança, mas mostre empatia pelo sofrimento dela.

Um beijo aqui de casa!

Nat.

 

Você também pode gostar destes posts

Read More