Alimentação Mamãe e Bebê

Socorro! Como fazer a introdução alimentar? Existe melhor método?

Introdução alimentar
BLW
Adora comer!

A Clarice está com 10 meses e começamos a introdução alimentar somente a partir do sexto mês. Até este período era exclusivamente leite materno em livre demanda. Digo exclusivamente mesmo, sem água e sem suco. Não foi fácil!

Aqui em casa o início da introdução alimentar foi de forma tradicional. Mas, havia uma inquietação em mim. Mesmo a Clarice comendo bem eu não achava certo dar a comida na boca do bebê de forma tão passiva, com todos os elementos misturados, sem independência e sem promover autonomia. Já tinha ouvido  falar da introdução alimentar BLW (Baby-Led Weaning – desmame guiado pelo bebê), que na minha ignorância era somente “modinha” e dar pedaços na mão do bebê. Pensava, não é pra mim isso! Muita sujeira! Muito demorado! É frescura… e blá blá blá…

Mas, ser mãe é aprender. Sempre!!! A inquietação de que não estava dando oportunidade da  Clarice se desenvolver em seu potencial me fez procurar informações e fazer inclusive um curso sobre o BLW. Fiz o curso da Aline Padovani, do blog Tá ná hora do papá (se interessou pelo curso? Clica aqui para saber mais.) e entendi que a introdução alimentar BLW é muito mais do que dar alimentos em pedaços para o bebê comer.  É todo um conceito de promoção do desenvolvimento cognitivo, emocional e fisiológico. É promover o desenvolvimento de forma global.

Iniciamos com 7 meses a transição da introdução alimentar convencional para o método BLW e percebi diferenças enormes na forma de comer, na forma de mastigar, de deglutir, de experimentar alimentos, na evolução do desenvolvimento motor fino e principalmente no desenvolvimento da autonomia e no prazer em comer. Mas confesso o método BLW não é fácil! É muito mais difícil do que dar papinha e estamos ainda em transição, hoje nos encaixamos na alimentação participativa. Pra onde iremos, não sei. Pois estamos aprendendo e ainda no processo. Tem horas que tenho vontade de desistir do processo devido ao cansaço de uma noite em claro, porque vai comida para o chão, cabelo, cadeira, sujeira, banho…mas depois me lembro o porque estamos fazendo e sigo a cada dia.

Independente do método a ser escolhido, acredito que uma alimentação responsiva é muito importante Estar de acordo com a sua realidade é importante, cada mãe tem que estar feliz com a sua escolha de introdução alimentar e principalmente, que cada mãe sinta o que faz o seu bebê feliz nessa etapa, pois cada mãe quer o melhor para seu baby,não é?

Se você pensa em fazer a introdução alimentar no método BLW, pesquise muito antes, pois o método vai muito além de simplesmente colocar o alimento na mão da criança e, principalmente, esteja ciente da técnica de desobstrução. Sim, o risco de engasgo é real e maior do que com papinha. Mas, desde que começamos, a Clarice nunca se engasgou. Pelo contrário, ela aprendeu a controlar a quantidade de alimento na boca, a cuspir quando não consegue mastigar e tenho certeza que a relação dela com comida está muito mais consciente. O segredo é confiar em seu bebê! Confie que ele conseguirá! Aqui em casa, os familiares e até o papai saíam de perto no início, porque não conseguiam controlar a ansiedade e o medo do engasgo. Foi difícil fazer com que a família confiasse em nós, na mamãe e no bebê. Por isso, não desistam na primeira vez, o tempo e a relação construída irão falar por si só…

Em relação a quais alimentos oferecer ao bebê, ofereço aqueles que ela consiga pegar e escolher como deseja comer, no tempo dela. Auxilio se necessário de forma motora, intermediando as preferências. É a coisa mais linda ver aquelas mãozinhas analisando o alimento, apertando, virando, passando de um lado para o outro e por fim provando com calma. Aprendendo a gostar ou não. Sim!!! Apesar de não conhecer outros sabores ela gosta de alguns e odeia outros. Insisto com alguns alimentos, ofereço de forma diferenciada e aos poucos vamos caminhando, pois cada criança é única e acredito que temos que dar possibilidades para que possa expressar sua individualidade e determinar seu tempo.

Introdução alimentar
Café da Manhã

Todo bebê pode iniciar a introdução alimentar neste método, mas não toda mãe e nem toda família. Nós já temos uma bagagem de vida, uma carga de experiências e de expectativas, o que torna co

mplicado esquecer tudo e colocar em prática algo tão diferente para cr

ianças se alimentarem. É necessário ver vídeos, ler muito e aprender o que permeia o BLW. Não é apenas se alimentar, é aprender sobre autonomia, autoconhecimento e controle de si.

Não existe uma regra, estou seguindo a IAP e tenho o objetivo de chegar totalmente na BLW, mas se perceber que não dá, sem problemas!! Sem trauma, faremos da melhor forma. Sem cobranças,precisamos fazer da forma que seja bom para todos.

O importante é que a Clarice esteja saudável, aprendendo e feliz! Sem ser obrigada a comer, ou a me deixar feliz na hora da refeição abrindo a boquinha para aceitar o alimento. Quero que ela entenda o processo de se alimentar como algo prazeroso, com oportunidade de negar, de aceitar, de comer conforme seu apetite, sem pressa e sem pressão. Que tenha a liberdade de se alimentar de forma saudável e a possibilidade de construir uma boa relação com os alimentos e a nutrição. O segredo é confiar no meu bebê. Até o sexto mês da Clarice, mantive a amamentação a livre demanda, onde ela tinha total controle da alimentação, sabia quando estava saciada ou não e controlava quando comer. Então, porque não confiar que ela saberá dar continuidade a sua alimentação? Tendo controle total de quando, como, quanto comer e o que comer. Meu papel nisso? É somente ser uma facilitadora, oferecer alimentos da melhor forma para que possa aprender tudo que alimentar-se significa.

O ideal é que independente do método escolhido, o estilo de alimentação deve ser responsivo, onde o adulto tem um papel de ajudar e ser mediador, incentivando o bebê a comer, sem forçá-lo e formando hábitos saudáveis na alimentação. O bebê precisa ser o agente ativo do processo de introdução alimentar complementar.

Lá em casa é assim, e na sua casa, como foi a introdução alimentar? Ou como pretende fazer?

 

Você também pode gostar destes posts

Read More